TESTE: Tiger 800XC

 

Já vendida no Brasil há alguns anos, esta Big Trail da Triumph parece que veio mesmo para ficar e está encarando sua maior concorrente (F800GS) com muita igualdade, superando-a em alguns pontos.

Seu desenho foi muito bem projetado, tem agradado muito seus fãs e permanece inalterado desde o primeiro modelo desembarcado por aqui, salvo alguns itens como grafismo, cores e detalhes.

Tiger 800XC

O motor é uma usina de força muito eficiente e, ao contrário de todas suas concorrentes, tem três cilindros em linha, marca característica dessa fábrica Inglesa, cujas saídas se unem para um único silenciador, todo em aço escovado. Acelerar esse bólido também é muito gratificante e tem um ar de quero mais, já que nenhuma outra trail do mercado mundial tem um comportamento como esta.

Um Tigre em evidência

Seus três cilindros compactos transmitem mais maciez ao conjunto que uma bicilindrica e, de quebra, a suavidade nas arrancadas faz lembrar uma autêntica “four”, com seus quatro cilindros despejando potência nas rodas. A postura na pilotagem é excelente, já que seu banco vem com duas regulagens de altura e é extremamente macio, tanto para o piloto quanto para o garupa.

Com suas suspensões invertidas na frente e uma potente atrás, essa a gás e com muitas regulagens de pré-carga, impossível não sentir segurança ao pilotar, em qualquer tipo de terreno.

Pilotando a Tiger

Apesar do ar imponente, essa inglesa é muito fácil de pilotar, graças a sua ciclística bem projetada. Mesmo em estradas de terra bastante irregulares o conjunto continua firme e confiável. Com um par de discos na roda dianteira e um na traseira, todos com o sistema ABS, a segurança ao pilotar é garantida. Tomamos a liberdade de avaliar o desempenho dos freios em pista com bastante pedregulho espalhado e o resultado foi surpreendente.

Faóis

O conjunto ótico proporciona uma ótima pilotagem, inclusive a noite, já que seus dois faróis simétricos tem boa eficiência e podem ser regulados com alguma facilidade. O painel, em si, também é bem resolvido. Conta um contagiros em formato tradicional e um display digital onde todas as informações são repassadas ao piloto, imediatamente. Algumas luzes piloto complementam o projeto.

Os pneus vem de fábrica com um desenho misto, mas há muita opção para pneus especiais para o uso mais off. Outros acessórios também são oferecidos para aqueles que desejem se aventurar por este mundo afora.

lanternas

 

Com uma “nave” desse porte até se poderia esperar um consumo exagerado de combustível, mas a máquina também é dócil nesse sentido, podendo chegar aos 20km/l. Evidente que se usada ao extremo, tal coeficiente pode cair bastante.

 

na pista

 

Rodamos com a moto em duas situações distintas e os resultados foram muito bons em ambos os casos.

Em pista lisa e larga a moto chega facilmente aos 160 km/h e pede mais. A sensação é de estar numa speed, salvo pela a posição de pilotagem ereta.

 

 

na terra

 

Em pista de terra batida, mata-burros e lama se saiu muito bem. Embora um pneu mais específico ficasse bem melhor, foi relativamente fácil manobra-la nesse ambiente adverso.

 

 

Tiger 800XC

Se no início da comercialização desse modelo no Brasil, muita gente torceu o nariz, principalmente achando que o maior problema seria ela “cair no gosto” e ter continuidade de comercialização, percebemos que ela já “se enturmou por aqui” e é uma autentica “Brazilian Bike” para nós e para os europeus. 

 

 

Ficha técnica

CHASSIS

QUADRO Armação em treliça tubular de aço

BRAÇO OSCILANTE Liga de alumínio fundido de dois lados

RODA DIANTEIRA 36 raios, 21 x 2,5 polegadas, aro de alumínio

RODA TRASEIRA 32 raios, 17 x 4,25 polegadas, aro de alumínio

PNEU DIANTEIRO 90/9021

PNEU TRASEIRO 150/70 R17

SUSPENSÃO DIANTEIRA Garfo invertido Showa 45 mm, curso de 220 mm

SUSPENSÃO TRASEIRA – Monoshock (amortecedor de choque único) Showa com reservatório de óleo remoto, précarga ajustável hidraulicamente, ajuste de amortecimento com rebote, curso da roda traseira de 215 mm

FREIO DIANTEIRO Discos flutuantes duplos de 308 mm, cáliper flutuantes de 2 pistões Nissin, (modelo ABS disponível)

FREIO TRASEIRO Disco simples de 255 mm, simples flutuante de pistão único Nissin, (modelo ABS disponível)

PAINEL DE INSTRUMENTOS E FUNÇÕES O pacote de instrumentos multifuncionais de LCD com velocímetro digital, computador de bordo, tacômetro analógico, indicador da posição da marcha, medidor de combustível, indicador de manutenção, sistema de monitoramento da pressão dos pneus (TPMS) pronto, ABS desligável e relógio.

 

Saiba mais no site da Triumph.

———————————————————————————————————————————————————————–

CRÉDITOS

———————————————————————————————————————————————————————–

texto e imagens: Marcos Duarte 

Mais imagens: CLIQUE AQUI

 Conheçam também:

YOUTUBE

FOTOS 360º

TODAS AS FOTOS

Deixe um comentário

comentários

Jornalista, advogado e editor do Portal D Moto, já foi colaborador da Revista Moto Adventure e do Portal Damas Aladas, trazendo imagens e textos dos mais diversos segmentos do motociclismo, já que pilota há mais 44 anos.

Deixe um comentário