Que diabos será isso!!??

 

The Imps (os diabinhos) é uma organização inglesa, sem fins lucrativos, que educa jovens através de um programa disciplinado, dinâmico e desafiador. O PIM, como é chamado, é mundialmente famoso por suas exibições com motocicletas. 

O projeto já tem mais de 45 anos e começou de improviso, numa daquelas atividades de férias escolares, em Hackney, um dos lugares mais pobres das adjacências de Londres, por Roy Pratt, que fundou uma instituição beneficente para crianças e jovens menos privilegiados, regra que segue até os dias atuais. Pelo que se propôs e tem feito, Roy Pratt já se tornou um novo Baden Powell dos tempos modernos.

Dentre suas muitas atividades a introdução do motociclismo para os jovens e as crianças se tornou tão atrativa que tiveram que rever o projeto inicial, para fazer extravasar aquela energia nova que haviam descoberto. 

A dificuldade era o alto custo dos veículos e equipamentos, o que praticamente impediria da maioria dos interessados poderem participar. O toque inicial veio com o convite de um programa local, onde formaram uma equipe inicial de “equitação”, com seis pessoas. 

A partir dessas origens humildes os IMPS têm crescido bastante, ganhando vários patrocinadores de peso, estando hoje ombro a ombro com as melhores equipes de exibição de motocicletas do mundo, se apresentando no tradicional “The Royal Edinburgh Military Tattoo”, como em diversos eventos ao redor do mundo. 

A denominação de “diabinhos” se deve pelas suas impecáveis túnicas de vermelho vivo. No entanto, ao contrário do que pode parecer, são altamente disciplinados e treinados. Mas não se iludam, não é nada fácil ser um dos “Imps”. 

A idade para participar desse programa é entre 5 a 16 anos e nessas quatro décadas de existência a entidade já patrocinou inúmeras histórias de sucesso pessoal, sendo exemplo aspiracional para milhões de jovens. 

A equipe tem uma política de recrutamento aberto à todos os jovens que preencham os critérios de entrada, independente de etnias. Até as meninas tem lugar certo entre os “diabinhos”. A preferência é para os moradores do bairro londrino Newham e adjacências. 

Critérios de Entrada? Em primeiro lugar o candidato(a) deve ser extremamente interessado(a) em se tornar um membro dos PIM. Além da idade, o ingresso depende de lugares disponíveis em cada faixa etária. 

Até mesmo jovens com deficiência poderão ingressar, mas cada caso deverá ser analisado cuidadosamente, para garantir segurança do interessado e dos demais. O formulário de inscrição está na página oficial dos “Imps”. 

A disputa pelas vagas é acirrada, afinal, como um Imp o aluno vai experimentar uma jornada desafiadora, gratificante e emocionante através de seus anos de formação, aprendendo habilidades essenciais para a vida toda, além de levá-lo ao redor do mundo. 

Os novos alunos são empossados um vez a cada ano. A primeira condição é a participação dos pais ou responsáveis nos treinos e com as documentações exigidas. Os compromissos assumidos para ser “Imp” não podem ser rompidos, e não é preciso mencionar o rigor britânico nesse ponto. As obrigações se estendem entre aluno e família. 

Se a candidatura preencher os requisitos, antes mesmo da seleção final a entidade convida os possíveis alunos para um curso de experiência de um dia, na verdade para aferir a real vocação do interessado e não prejudicar aqueles que realmente tem interesse. 

Para saberem mais sobre “The Imps”, acesse aqui sua página oficial. 

 

   

Esperamos que essa matéria possa trazer luz em nossa pátria para trabalhos como esses, com motos, bicicletas, patins e até mesmo com jegues. Não esqueçam que os “Imps” fizeram sua primeira apresentação de forma rudimentar. 

 

FGALERIA DE TODAS AS FOTOS DESTA MATÉRIAE

 


CRÉDITOS


FOTOS: divulgação 

Texto: Marcos Duarte

THE IMPS

YOUTUBE

FOTOS 360º

FLICKR

 

 

Deixe um comentário

comentários

Jornalista, advogado e editor do Portal D Moto, já foi colaborador da Revista Moto Adventure e do Portal Damas Aladas, trazendo imagens e textos dos mais diversos segmentos do motociclismo, já que pilota há mais 44 anos.

Deixe um comentário