Salão 2017 – Para “todos os mundos”

Esta edição do Salão Duas Rodas 2017 tem muitas novidades para o público aficionado pelo motociclismo e talvez o mais importante para o evento seja seu novo endereço, agora no São Paulo Expo, Rodovia dos Imigrantes, km, 1,5, na Água Funda, São Paulo.

O Salão está acontecendo neste mês de novembro entre os dias 14 a 19 e se depender de seus fãs, estenderá ainda mais o feriado que acontece bem no meio da semana.

Os horários não mudaram. Nos dias de semana das 14h as 22h; e no domingo, dia 19, o Pavilhão será aberto mais cedo para receber o público (11h), mas encerrará suas atividades também mais cedo (19h)

São aguardados cerca de 260 mil apaixonados por motocicletas; perto de quinhentas motocicletas expostas; e muitas marcas de fabricantes de todos os seguimentos do motociclismo.

O Portal D Moto esteve presente neste primeiro dia do evento, para trazer à você, leitor amigo, tudo em primeira mão.

Se você quer chegar aqui de moto é só digitar “Salão Duas Rodas” Waze para ver a melhor rota. Se estiver a pé é também muito simples, pois o pavilhão está a 800 metros do metrô Jabaquara e tem transporte gratuito até lá.

Para quem vier “voando”, o Aeroporto de Congonhas está a 10 minutos daqui. Pode ir sossegado que vai dar tempo.!

O valor para estacionar o automóvel será R$ 45,00. As motos terão espaço gratuito, até o limite de 400 e os portões estarão abertos a partir das 13h. Fora isso o valor do estacionamento para motocicletas, em área coberta e segura, será R$ 25,00.

Tudo mais que o visitante quiser saber é só consultar o site oficial do evento.

Fomos um dos primeiros a entrar no Salão Duas Rodas 2017 e é preciso registrar aqui a quantidade de visitantes em busca de ingressos e informações a respeito do evento. Muitas pessoas que vieram de seus estados ou países para assistirem a Fórmula 1, ainda permaneceram por aqui para curtir o Salão Duas Rodas deste ano.

Como o primeiro dia do evento é o mais procurado pela mídia, jornalistas de todo o Brasil e de várias partes do mundo, principalmente da América do Sul, se apinham na Sala de Imprensa em Busca de verem em primeira mão os modelos apresentados, bem como para as coletivas de imprensa que acontecem de tempos em tempos

Mas não é só de moto que vive o Salão, mas de tudo mais que diz respeito a ela. Peças, acessórios, equipamentos, serviços e novidades não faltam, assim como dicas de pilotagem, de viagens e de estilos de vida motociclística.

 


YAMAHA


A Yamaha abre nossas apresentações, já que foi a primeira empresa a produzir motos no país no início dos anos 70, com a RD50cc.

Aqui no Salão o belo stand da Yamaha também será o primeiro a ser visto por todos os que vierem, pois está posicionado logo na entrada, chamando a atenção de todos os aficionados pela velocidade de suas potentes máquinas, como pela tradição do mundo trail.

MT 09

Em um de balada e luzes piscando, o stand apresentou a versão que será vendida em 2018 e muitos atrativos musicais. O interesse do público, como sempre, foi a famosa R1 no seguimento das esportivas, e a Super Tènèrè 1200cc, na categoria Big Trail, que tem conquistado cada vez mais fãs.  A linha das MT também teve público que não arredou pé ao lado delas.

 

Mas as pequenas e valentes motos de baixa cilindradas também não foram esquecidas e a disputa era grande para curtir as Fazer, Crosser e outras tantas que fazem o delírio da moçada.

 


HONDA


O Stand da Honda, como não poderia deixar de ser, é o maior e o mais completo do Salão, de forma a bem representar a marca mais forte do país, senão a mais forte do mundo no segmento de motocicletas.

E aqui o aficionado da marca não tem do que reclamar, já que a empresa produz excelentes veículos para todos os gostos, desde as incrementadas touring até as delicadas motocicletas sapecas de trial, passando pelas Custom, Street, Naked, Esportivas, Trail, etc. 

gold wind

Em 2017 o destaque da marca japonesa para o Salão foi  a imensa Touring Gold Wind 1800cc, em duas versões para atrair um consumidor ávido por novidades e modernidades. A Versão sem top case, mas recheada de tecnologia, certamente agradará aos mais jovens para esse “sedã” de duas rodas.

Mas a fábrica não esqueceu suas origens e brindou os presentes com duas impecáveis “cubs” do início dos anos 70 e outras “cubs do futuro”, pequenos scooter com tecnologia avançada, antevendo, também, a necessidade do ser humano valer-se cada vez mais de veículos pequenos e práticos para o dia a dia nas grandes cidades.

neowing

Mas como o mundo abstrato do futuro precisa ser desenhado no presente, a Honda apresentou o triciclo conceito Neowing, assim como outros scooters, que certamente farão a alegria de muitos de nós ou de nossos filhos.

A potente, esguia e cobiçada AFRICA TWIN chamou muito a atenção dos visitantes do salão e já pode ser considerada uma cartada de mestre da fábrica nipônica, deixando de lado o excesso de peso e volume comuns nas grandes motos do gênero, para devolver a leveza de pilotar, ainda que nos mais duros terrenos do planeta.

Africa Twin 450cc?

Uma “filhote” da AT também chamou a atenção no meio do stand. Toda envolta em bolha de vidro e “pisando em areia”, uma Africa Twin 450cc era admirada sob os olhos curiosos dos visitantes. E não é para menos, uma máquina dessas cairia como uma luva em nosso país, cheio de estradas para serem percorridas por essas máquinas.

Além da retrô CB 1100cc, todas as outras motocicletas da marca tiveram seu lugar especial no stand, cada uma delas “secadas” com os olhos ávidos de seus futuros donos e simpatizantes.

 


VESPA


A Vespa, embora não produza atualmente motocicletas ou motonetas no país, ocupa nosso terceiro comentário por puro saudosismo daquelas maquininhas desengonçadas que fizeram história nos anos 60, 70 e, finalmente, 80.

Poucos motociclistas com mais de 35 anos podem dizer que não sabem o que é ou foi uma Vespa e nós mesmos, em nossa redação, mantemos uma PX200cc 1986 em perfeito estado de uso.

Vespa

 

A marca Vespa, de propriedade de Piaggio Italiana, não vive do passado. Ao contrário, na vanguarda dos investimentos, estão sempre apresentando novidades e neste salão não seria diferente

 

A simpática MP3 foi o ponto alto do stand, mas as outras motonetas da marca também tiveram seu papel de destaque e um público fiel que não perde a oportunidade de ver uma autêntica Vespa de perto, principalmente com tanta tecnologia nova embarcada. 

 


SUZUKI/KYMCO/HAOJUE


Os fãs da marca Suzuki podem ir se acostumando com esses outros nomes, pois em todas as revendas do Brasil seus produtos serão comercializados.

v strom

A marca “amarela” japonesa foi uma grata surpresa para nós brasileiros, quando instalada no país há pouco mais de duas décadas, em parceria com a empresa J Toledo. A princípio a empresa apresentou pequenos scooters de 50cc e 100cc e, no mundo das motos, uma das primeiras tupiniquins foi pequena Katana 125cc .

O tempo passou e logo a empresa surpreendeu a todos, apresentando toda a linha de top star nipônicas aqui mesmo e a preços competitivos, além de darem inicio a produção de motos e motonetas notáveis, como a Yes e o Burgman, ambas de 125cc.

Esses pequenos veículos se alastraram pelo Brasil graças as suas soluções inovadoras e qualidades técnicas, seguindo logo por máquinas como as Intruder 250cc, 800cc e 1400cc; as DR 400cc, 650cc e 800cc, as Marauder, Boulevard e até a cobiçadíssima Hayabusa, a mais veloz do mundo.

chopper

Hoje a fábrica expõe no Salão dividindo espaço com a Kymco e e Haujue, essa última fabricando as motocicletas de baixa cilindrada,  Chopper 125cc e a DK 150cc, essas substituindo as Intruder 125cc e Yes 150cc; e a Kymco produzindo os scooters da linha Burgman.

Só nos resta aguardar o resultado dessa nova parceria e a recepção que terá em nosso concorrido mercado. Qualidade de acabamento as empresas demonstraram ter nos produtos apresentados neste Salão 2017.

GSX-S – 1000

Na linha das médias e altas cilindradas o sucesso foi total. Ao nosso ver a moto mais bonita de todo o Salão Duas Rodas de 2017 foi a GSX-S 1000, na cor preta e vermelha. Uma maravilha sobre rodas.

Completando a linha das esportivas a Hayabusa, como sempre, deu o Show merecido, arrebanhando muitos fãs para curtir as duas motos apresentadas no salão.

V STROM

Mas foi na linha Trail as mais interessantes mudanças para o público consumidor. As cobiçadas V-STROM tiveram alguns ajustes técnicos implantados e os grafismos e cores novas deram ao modelo o status merecido. De quebra a empresa mudou os faróis da 650cc, alvo de critica dos consumidores e de sarcasmo dos concorrentes.

O novo conjunto ótico é o mesmo utilizado na versão 1000cc, que goza de unânime prestigio geral, já que harmonioso pelo conjunto das linhas desse modelo, sinônimo de robustez, no asfalto e em viagens fora dele.

 


DAFRA


A Dafra tem destaque garantido em nossos comentários por ser uma empresa brasileira, com dez anos de existência, com polo industrial gigantesco em Manaus e tem montado motocicletas de fabricantes asiáticos com grande aceitação em nosso mercado.

Next 300cc

Prova disso é a Citycom 300cc, que tem sido vista em todo canto e elogiada pelos seus proprietários, lançando definitivamente o conceito de scooter no Brasil, coisa que não tinha acontecido ainda, nem mesmo com o sucesso da burgman 125cc, da Suzuki.

No Salão 2017 a Dafra apesenta, de forma repaginada, a campeã de sucesso NEXT, agora na versão 300cc. Com a base da antiga motocicleta e alguns itens a mais, o modelo se torna uma concorrente de peso para as outras marcas. 

O sucesso da empresa pode ser visto com a montagem em seus galpões de motocicletas de várias empresas europeias como a BMW, Aprília, etc, que tiveram modelos seus vendidos oficialmente no Brasil.

 


BMW


A grife alemã não poderia deixar de participar deste evento que é o maior do segmento em toda a América Latina, com um grande stand, tomando toda uma “quadra” do salão.

K 1600B

As novidades já eram esperadas pelo público presente, mas mesmo assim os fãs da marca não deixaram de prestigiar o evento e verem de perto as potentes máquinas que serão vendidas para a versão 2018.

Além das tradicionais motocicletas de altas cilindradas, com os famosos motores boxer de dois cilindros, a marca apresentou modelos de suas mais sofisticas Touring, como a K1600B, com seis cilindros e sem o top case, visando o condutor mais jovem; e a sofisticadíssima K 1600GLT.

GS 1200 ADV

Mas os modelos mais requisitados no salão foram mesmo os da linha GS. Com fanáticos do modelo espalhado pelo mundo todo, a empresa tem se esmerado em apresentar sempre mais novidades e opções, para os diversos estilos de pilotos e de lugares a serem percorridos.

Quem aguardava os modelos GS 850 E GS 750, recém lançados pela marca, frustou-se com sua ausência, embora ela ainda possa vir a fazer parte do “cardápio” de 2018 aqui no Brasil. Mas a frustração não durou sequer um segundo pois as gigantescas GS 1200 estavam de coração aberto para os visitantes, além das pequenas GS 310cc, que prometem emplacar no Brasil se o preço for sugestivo.

HP4 RACE

 

Um dos mdelos GS que mais chamou a atenção da galera foi a GS 800 Trophy, apresentada toda produzida para o piloto que deseje cruzar o mundo com uma máquina potente e, ao mesmo tempo, leve e prática de ser usada. Na versão apresentada bastaria o piloto encher o tanque e sair pelo mundo.

As esportivas também tiveram seu lugar especial, com grande assedio para o modelo HP4 RACE e a S 1000 XR. 

 


TRIUMPH


Por sua vez a grife inglesa desta vez parece que emplacou em terras tupiniquins, o que não acontecia antes com suas antigas motos.

Hoje o mercado se tornou receptivo para a marca, graças aos produtos inéditos, como o motor de três cilindros, principalmente nas Big Trails.

E não é só disso que o consumidor gosta. Consumidor gosta de ser paparicado; gosta de ser lembrado; gosta que seu produto seja excelente e, principalmente, que tenham preços justos.

Tiger Explorer 1200

Com essa receita infalível, falta agora fazer o consumidor acreditar que a marca permanecerá sólida no país, para que os investimentos feitos pelos clientes possam render em certeza de que estará amparado em todas as circunstancias.

Motocicletas de qualidade e beleza foi o que não faltou ao visitante deste 14º Salão Duas Rodas 2017, o que garantiu muita gente disputando espaço para subir nos modelos apresentados, curiosos com as novidades apresentadas. E, cá entre nós, o imenso sucesso da Triumph está mesmo nas mãos das robustas Tiger.

 


KAWASAKI


A Kawasaki tem chegado devagarinho no mercado brasileiro há menos de uma década e vem trazendo modelos famosos como a Versys 650cc e 1000cc; as Vulcans 900 e as imponentes motos  Ninja.

Versys

Com o tempo se atreveu a lançar em terras tupiniquins a Ninja 300cc e mais recentemente a Versys 300cc. Pelo alvoroço do público presente ao lado dessas motos, parece que a ideia foi aprovada, muito embora a concorrência seja grande no segmento.

Mesmo com a crise econômica global a Kawasaki mais uma vez montou um bonito stand no Salão, expondo seus veículos com grande dose de tecnologia e beleza.

z 900

Uma Z 900cc retrô ao lado de uma ultra esportiva Ninja, que por sua vez estava ao lado da linha Versys, agora em três versões, foi a receita usada pela marca japonesa para fixar definitivamente a Kavawaki entre as mais requisitadas marcas no Brasil.

Parte desse sucesso se deve a mudança estética dos modelos Versys, mais enxutas para o fim destinado. A ausência sentida por muitos foi a linha Vulcan.

 


HARLEY DAVIDSON


A Harley Davidson também desembarcou no Brasil oficialmente há menos de uma década, e hoje mantém uma fábrica em Manaus com 10 mil m2, com capacidade de produzir aproximadamente 500 motos por mês.

A fatia de consumidores destinada a Harley é praticamente intocável e tem sido ampliada a cada dia, principalmente com máquinas fabricadas aqui mesmo e com a grife americana estampada no tanque.

hd

Mas o apelo da marca ultrapassa a barreira das motocicletas e passa a ser um estilo próprio de vida, que nenhuma outra motocicleta ou veículo, no mundo todo supera.

Isso mais uma vez pôde ser constatado no Salão Duas Rodas deste ano. Não era bem um stand, mas o mesmo que o fim de semana em alguma concessionaria Harley espalhada pelo mundo. Muita gente, muitas motos de todos os tipos espalhadas pelo espaço, muitos acessórios, vestuário e lembranças da marca sendo vendido e… muito rock in roll de primeira sendo tocado em volume alto.

hd

A festa realmente rolou no stand da mais carismática marca de veículos do mundo. Note que dissemos “veículos” e não motos. Toda essa história da marca tem seu fundamento na qualidade das motocicletas, cada vez mais atualizadas para o consumidor raiz ou o estreante.

E para comemorar o 115º aniversário da fábrica em 2018, a Harley lançou um modelo especial que esteve exposto no salão para delírio daqueles que tem HD no sangue.

hd

Ainda que a marca ainda não ofereça os modelos de 500cc e 750cc, os aficionados da marca curtiram os modelos fabricados no Brasil com muito entusiasmo. 

Depois de passar pelo stand da Harley fica difícil continuar visitando outros no salão. Então recomendamos deixar por último essa visita, para curtir o máximo possível essa viagem ao mundo HD.

 


INDIAN


Indian

 

A Indian, a exemplo da Harley, já teve seus dias de glória e seus momentos negros. Como a Harley também viu suas famosas máquinas quase serem esquecidas. E, ainda seguindo os passos da compatriota americana, a fábrica deu a volta por cima e apresenta ao publico do mundo todo produtos de extrema qualidade e beleza.

A etapa agora é de reaproximação com os motociclistas mais antigos, que discutiam de igual para igual com os da Harley pela preferência nacional; e de aproximação com os motociclistas mais jovens.

Também a marca tem seu estilo e adeptos próprios. Boa parte dos motociclistas ainda buscam na lembrança os contornos exóticos que envolvem os modelos da fábrica, olhos esses sempre críticos às novidades. Novidade? Não meu amigo, é o regresso ao passado nas formas, com tecnologia de futuro nas veias e coração.

Indian

Ainda são poucos os modelos comercializados, mas todos eles tem a qualidade e o prestígio que a Indian ainda encontra em redor do mundo.

Agora é curtir esses modelos e torcer para vê-los rodando pelo nosso imenso Brasil e, a contar do sorriso dos pequenos futuros pilotos, achamos que a marca está no caminho certo.

 

 


ROYAL ENFIELD


Mais uma marca da realeza britânica está em busca de aficionados além mar. A saga da Royal Enfield vem de longa data e de muita história, como só um bom inglês costuma ter. Por falar em ingleses, a decoração do stand bem lembra um pub londrino.

royal enfield

Mas a marca traz mais que um cantinho bonito. Traz um acervo pequeno, de apenas três motocicletas, mas que foi um dos motivos de muita gente vir ao Salão Duas Rodas, como pudemos pesquisar na longa fila de entrada, antes da abertura dos portões ao evento.

E se a ideia da marca é pregar um “motociclismo raiz”, parece que a empresa começou da maneira certa: “Se plantou” formalmente em nosso território e apesenta produtos de qualidade com preços prá lá de competitivos, alguns modelos custando menos que 20mil reais.

royal enfield

Agora é esperar para ver essa raiz criar caule, o caule virar tronco, e a árvore real crescer também aqui no Brasil, e não se tornar apenas uma empresa “para inglês ver”.

Em breve traremos à você, leitor amigo, um teste prático dessas motocicletas pelo interior do Estado, com todo o clímax que um evento dessa natureza merece. 

 

 

 


KTM


A austríaca KTM também não fez feio no Salão Duas Rodas e trouxe seus principais produtos para serem vistos por um público interessado na marca, principalmente por suas façanhas nas provas de enduro, mostrando que a KTM é um verdadeiro “trator” em relação aos concorrentes.

ktm 1290

Como sua cor predominante é o laranja, o stand não podia ficar diferente e sob essa luz quente os procutos foram vistos por milhares de pessoas. O modelo que mais chamou a atenção do público foi a Big Trail Super Adventure R, de 1290cc.

Mesmo assim as outras motocicletas da linha DUKE: 390cc, 300cc e 250cc, mantiveram seu interesse geral aos visitantes e o stand nunca ficava sem muita gente.

 


DUCATI


A Ducati está novamente presente no Salão Duas Rodas, mas certamente será a marca que você vai visitar por último. Literalmente o stand da Ducati é o mais afastado da portaria e ao lado do “Hall of Death”.

diavel

Mesmo assim nenhum visitante vai embora sem visita-lo, muito pelo contrário, a marca é muitas vezes o que leva o visitante ao evento, graças as suas máquinas potentes e cheias de glamour.

A sofisticada Diavel é visita certa, com certeza. Não há admirador da marca que não queira toca-la. sentar sobre ela, se for possível. E a fábrica não deixou por menos e trouxe esse bólido para o stand, juntamente com as Multistradas, as Monsters, as Superbikes…

multistrada

O diferencial do stand é a luz. Muita luz. Examinamos as motocicletas no salão como se estivéssemos no sol. Nada fica escondido ou ofuscado da visão do visitante, que pode examinar a moto do seu gosto com toda a atenção do mundo.

Porém, no outro lado do stand a coisa modifica. A luz branca e clara do stand some e aquele “cantinho do fundo” fica todo amarelo. “Amarelo cheguei”. Contrastando com a parte principal, até as modelos que mostram as motos tem figurino próprio, uma espécie de country.

scrambler

Ali é o paraíso das Scramblers, motos mais que especiais que a Ducati fabrica especialmente para um público cativo. Nesse “cantinho” há um barbeiro, barbeando, e na parte superior a banda de rock que não para.

E agora? Onde ficar? No claro da Ducati, ou no amarelo das Scramblers? Dúvida cruel que todo aficionado por moto gosta de ter.

 


MAIS SALÃO


Aproveitando do tempo fomos assistir a apresentação do grupo “Wall of Death”. As apresentações acontecem algumas vezes ao dia, em horário pré definido, e é preciso que o interessado vá ao stand para fazer seu cadastro prévio, pois não é permitida a entrada de muita gente, por segurança.

Wall of death

O espaço é uma espécie de tonel de madeira onde três motociclistas, com suas motocicletas tipo scrambler, rodam literalmente pela parede, até uma altura superior a dez metros, rente ao público presente.

As passagens dos pilotos rente ao expectador impressiona realmente, quer pelo deslocamento de ar, quer pelo barulho da motocicleta a centímetros de nossas cabeças. Apresentação concluída deixamos aquela nova versão da “Cúpula do trovão” dos dias modernos, onde agora “três pilotos entram e os mesmos três pilotos saem”.

 

Depois de visitarmos as motocicletas que serão cobiçadas já em 2018 aqui no Brasil, fomos verificar o que o mundo da moto está reservado de novidades para o mercado, ziguezagueando entre grandes stands voltados a segurança do piloto, pneus, peças de motocicletas, serviços, etc.

Agora não perca mais tempo e dê um pulinho no Salão Duas Rodas 2017, Ainda dá tempo, é até domingo, dia 19 de novembro, mas veja lá, só pode entrar até as 16h.

VEJA O VÍDEO DO SALÃO

 

VEJA TODAS AS FOTOS DO SALÃO AQUI

Salão Duas Rodas 2017


CRÉDITOS

Texto e Edição: Marcos Duarte   

Fotos e vídeos:  Marcos Duarte e Celso Elez

conheça também:

VIDEOS YOUTUBE

FOTOS DO FLICKR

FOTOS 360º  

 

 

 

Deixe um comentário

comentários

Jornalista, advogado e editor do Portal D Moto, já foi colaborador da Revista Moto Adventure e do Portal Damas Aladas, trazendo imagens e textos dos mais diversos segmentos do motociclismo, já que pilota há mais 44 anos.

Deixe um comentário