CITY TOUR = Tapes/RS

Tapes é o 27º município em antiguidade, num universo de 497 cidades gaúchas e, por estar as margens da Lagoa dos Patos é a atração especial deste City Tour pelo sul do Brasil. 

Criado em 16 de dezembro de 1857, completa 160 anos no final deste ano. Para se chegar em Tapes partindo da capital gaúcha, são pouco mais de 100km, a maior parte deles pela BR-116 em direção a Jaguarão, divisa com o Uruguai. 

Sua população atual beira os 20mil habitantes, a maioria esmagadora deles morando em área urbana (85%) e somente uma pequena parcela na área rural.

Para quem gosta de diversão Tapes está a sete metros acima do nível do mar, tem belas praias e uma enseada que atrai turistas de todas as partes do país, denominada “Pontal de Tapes”, onde regularmente acontecem campeonatos de natação de grande porte.

A população nativa era a indígena, substituída no período colonial pelos portugueses vindo dos Açores e dos africanos. Quando a localidade passou a ser um núcleo importante para o escoamento da produção agrícola gaúcha chegaram os alemães e os italianos, compondo assim a população que perdura até os dias atuais.

Ao que se sabe o “Porto de Tapes” é que alavancou a transformação da história ao longo dos tempos, até a decadência do transporte hidroviário substituído pelas rodovias, o que fez com que a cidade perdesse sua influencia na região.

Como meio de avivamento daquele trecho da “Costa Doce” o Governo do Estado levou para suas terras, desde o ano de 2001, a Universidade Estadual do Rio Grande do Sul, tentando garantir a defesa do turismo ecológico em paridade com a riqueza histórica e cultural da região.

Por falar em desenvolvimento, o cultivo do arroz ali ainda predomina com grandes vantagens sobre a pecuária bovina, assim como o comércio e o turismo estão cada vez mais crescentes, principalmente nas épocas de verão, quando as águas da lagoa recebem turistas do mundo todo.

No início a população do município era composta pelos índios Patos, de cultura guarani, e um ramo de Quíchuas, de origem peruana (Incas). Os primeiros foram intensamente caçados pelos bandeirantes como escravos e acabaram morrendo desidratados nas lavouras paulistas, pois eram obrigados a vestirem roupas de lã ao estilo português, mesmo sob o sol escaldante a que não estavam aclimatados.

Do costume dos índios guaranis em mascar a folha de erva mate para diminuir a fadiga nasceu o chimarrão. Como não havia erva fresca para todos, o bandeirante Raposo Tavares resolveu “secar a erva” para levar consigo em suas andanças pelo território nacional, dando origem a tradicional bebida consumida em todo o cone sul, assim como no Mato Grosso e Goiás, as vezes transformado no refrescante “tererê”.

Ainda buscando a fundo as tradições da região que visitávamos, soubemos de muitas intervenções violentas de portugueses contra os índios Charruas do extremo sul do Brasil, que também eram extremamente belicosos e nômades. Do cruzamento desses índios com os europeus resultou o gaúcho tradicional que conhecemos hoje.

Em nossa visita na cidade de Tapes, depois de conhecermos o centro histórico com bastante riqueza histórica, seguimos em direção do Pontal de Tapes, bem próximo ao centro, entretendo-nos no bonito calçadão que margeia a Lagoa dos Patos.

Antes de seguirmos viagem em direção ao sul do Brasil, aproveitamos para conhecermos um pouco mais do dia-a-dia da cidade e depois almoçarmos. A pedida, como não podia deixar de ser, foi o peixe assado com arroz. Uma delícia que um dia pretendemos repetir.

Nesse quesito o visitante não terá problema algum para achar um bom lugar para uma refeição ou lanche rápido, já que a cidade tem a sua disposição muitas lanchonetes, pizzarias e restaurantes para cada gosto, ainda que seja algum lugar bastante exótico como o “Senhor dos pastéis”. Venha conferir, mas não garantirmos que você será servido pelo “Frodo pasteleiro”.   

Por volta das 14h de um dia de semana ensolarado deixamos Tapes, continuando nosso projeto “ABRAÇANDO A LAGOA DOS PATOS“, evidentemente sem pressa alguma de concluir a façanha. Aguardamos você, leitor amigo, na próxima cidade que visitaremos a seguir: São Lourenço do Sul.


Acompanhe todo o percurso em volta da Grande Lagoa e nas cidades que por ela são banhadas, nos links abaixo relacionados.

Gostou da matéria? faça um comentário e envie-a aos seus amigos; Não gostou? envie-nos suas críticas ou sugestões, estaremos prontos para atende-los. 

VEJA TODAS AS MATÉRIAS RELACIONADAS COM ESTA

      

                                    

          

 


CRÉDITOS


Texto e Edição: Marcos Duarte     

TODAS sa fotos deste projeto = AQUI

conheça também:

VIDEOS YOUTUBE

FOTOS DO FLICKR

FOTOS 360º  

Deixe um comentário

comentários

Jornalista, advogado e editor do Portal D Moto, já foi colaborador da Revista Moto Adventure e do Portal Damas Aladas, trazendo imagens e textos dos mais diversos segmentos do motociclismo, já que pilota há mais 44 anos.

Deixe um comentário